MEU SALÁRIO É UMA MERRECA! O QUE FAZER PARA NÃO QUEBRAR?


Vamos começar este artigo com algumas informações interessantes:


1º) Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, realizada periodicamente pelo IBGE, o salário médio do brasileiro está estagnado desde 2014, sendo contabilizado atualmente em R$ 2.291,00 por mês.


2º) Conforme um estudo realizado pela UNICAMP em parceria com a Associação Brasileira de Educadores Financeiros e o Instituto AXXUS; 80% dos trabalhadores brasileiros não conseguem guardar dinheiro. É isso mesmo que você leu! Quatro em cada cinco pessoas aqui no Brasil não possuem poupança alguma ou, se possuem, é quase nada.


3º) Em fevereiro deste ano o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) informou que, aproximadamente, 40% dos brasileiros maiores de 18 anos estão com, pelo menos, uma dívida em atraso.


Pois bem, caro leitor, se você se enquadra em algum dos itens listados acima, o conteúdo deste artigo foi desenvolvido para você!


O que uma pessoa qua ganha pouco mais de dois salários mínimos, que não consegue guardar dinheiro e que tem, ao menos, uma conta vencida juntando poeira na gaveta da cômoda deve fazer?


Primeira Sugestão: Comece a tomar nota dos seus gastos. É fácil encontrar planilhas específicas para isso disponíveis na internet, além delas, a Play Store do seu celular costuma oferecer aplicativos que também auxiliam nesse controle. Se você não é adepto de usar ferramentas eletrônicas use o bom e velho caderno de anotações. O importante é colocar na ponta do lápis o quanto você ganha e o quanto (e em que) você gasta o seu dinheiro todo mês.


Dica importante! Todo mundo da família precisa colaborar nessa tarefa de controle dos gastos. Estamos falando aqui de trabalho em equipe!


Conhecendo os seus gastos e o quanto você recebe, você terá melhor noção dos seus limites e poderá identificar melhor o que pode ser cortado.


Segunda Sugestão: Esqueça o cartão de crédito na gaveta! Simples assim! Passe a dar preferência para as compras a debito. Assim a disciplina aumenta e as dívidas diminuem. Eu sei que você vai ficar frustrado momentaneamente por não poder comprar tudo o que você vê pela frente mais, acredite, o benefício no futuro compensa o sacrifício no presente.


Terceira Sugestão: Faça uma lista de compras sempre que for ao supermercado. Quando a gente ganha pouco, a compra do mês no supermercado ganha uma importância enorme e boa parte do orçamento doméstico fica por lá. Se você simplesmente se deixar guiar pelas ofertas nas prateleiras do mercado o estouro no orçamento é certeza! Com a lista você mantém o foco no que realmente importa. Faça a lista e compre apenas o que está lá!


Dica para quem gosta de tecnologia! Existem vários aplicativos de celular que ajudam a fazer a lista de compras, basta dar uma olhada na Play Store.


Quarta Sugestão: Essa é para os esquecidos! Pague suas contas no mesmo dia. Estabeleça um dia do mês no qual você vai concentrar o pagamento de todos os seus compromissos para aquele período, assim você não corre o risco de pagar multas e juros decorrentes de atrasos motivados pelo esquecimento.


Quinta Sugestão: Faça uma reserva de contingência! Explico: se você atendeu à primeira sugestão, depois de algum tempo vai ter noção exata de quanto você precisa para dar conta das suas despesas mensais. Feito isto pegue esse valor médio e multiplique por seis. Por exemplo: Se você precisa de R$ 2.000,00 por mês para manter sua família, multiplique este valor por seis. Você vai encontrar um total equivalente a R$ 12.000,00. Pois bem, neste exemplo, esta será sua reserva de contingência. Separe de 10% a 15% dos seus ganhos e comece a guardar esse dinheiro até chegar neste valor. Quando você chegar ao total da sua reserva de contingência esqueça que este dinheiro existe! Esse dinheiro deve ficar guardado para eventualidades tais como desemprego inesperado ou despesas extras de saúde.


Não me venha com essa conversa de que não consegue reservar nem dez por cento do seu salário para poupança! Afinal, as sugestões anteriores já te mostraram que, se houver disciplina e autocontrole é possível sim.


Outras dicas interessantes são: evite comprar por impulso! Deu vontade de comprar, espere pelo menos um mês para depois pensar em realizar a compra. Até lá você vai notar que aquilo que parecia tão importante, talvez nem seja necessário; fique atento às pequenas despesas, elas podem abocanhar uma parcela significativa do seu orçamento sem que você perceba e, lembre-se de poupar sempre, mesmo depois de já ter atingido a reserva de contingência!


A propósito, sobre esta questão de poupar, perceba que a caderneta de poupança não é a única opção para quem ganha até dois salários e meio. Alternativas interessantes para além da boa (nem tão boa) e velha poupança temos: o Tesouro Direto, o CDB – Crédito de Depósito Bancário, a LCA – Letra de Crédito do Agronegócio, os Fundos de Investimento e a Previdência Privada.


É claro que o assunto não se esgota por aqui, há muito mais que pode ser feito para melhorar a saúde financeira das suas contas, porém, como o artigo já está ficando um pouco grande, retomamos nossa conversa em outra ocasião.


Um forte abraço e sucesso!

Econ. Alexandre B. Marques

Economicidade

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com