DOIS INDICADORES INTERESSANTES PARA ACOMPANHAR O DESEMPENHO DA GESTÃO DA SUA EMPRESA


Quando implementamos ações de melhoria no modelo de gestão de uma empresa precisamos mensurar o impacto dessas ações sobre o negócio.


A criação de indicadores para monitoramento de resultados é uma atividade bastante complexa, pois exige compreensão do contexto da organização e bom senso, uma vez que a falta de indicadores pode comprometer o monitoramento e o excesso de indicadores pode inviabilizar o acompanhamento dos números.


Dessa forma, usar indicadores que sintetizam resultados globais é uma boa alternativa para acompanhar desempenho sem errar a mão na dosagem do monitoramento.


Um indicador global que me parece muito útil é o Índice de Produtividade por Hora Trabalhada. A ideia é calcular quantos R$ sua equipe produz por hora trabalhada ao longo do mês. Para explicar de forma bem simplificada, consiste em dividir a receita total pela somatória das horas trabalhadas pela equipe ao longo de um período determinado.


Quando criamos procedimentos, desenvolvemos estratégias de marketing, analisamos as necessidades e interesses dos clientes, deflagramos ciclos de melhoria etc, o resultado lógico esperado é o ganho de produtividade, ou seja, o crescimento da receita (já que você está entregando para o cliente o “remédio” certo para suas “dores”) e a redução dos custos (uma vez que sua equipe está errando mesmos, planejando a produção e se antecipando aos problemas).


Como tempo é dinheiro, podemos dizer que a redução desses custos tem como consequência direta a redução do número de horas necessárias para executar as tarefas. Em outras palavras, ações de melhoria bem sucedidas tendem a fazer com que a equipe consiga produzir mais em menos tempo e permite que haja “sobra” de tempo para mais planejamento, mais organização e mais estratégia.


Dessa forma, calcular o quanto a sua equipe produz (em dinheiro) por hora trabalhada é uma boa forma de saber se o que está sendo feito está sendo assertivo ou não.


O segundo indicador que merece menção aqui e que interfere diretamente na melhoria da Produtividade é a rotatividade (turnover) da equipe.


A ideia de cálculo aqui é basicamente somar o total de demissões e de admissões em um determinado período de tempo, dividir o resultado por dois e então dividir esse número pelo total de funcionários da empresa.


A relação entre turnover e produtividade está no fato de que quanto menor o primeiro maior o segundo. Em outras palavras, quanto menor a rotatividade, maior é a retenção de talentos dentro da empresa e maior é o acúmulo de expertise conquistada pela experiência e coesão da equipe. Nessas condições, se a empresa possui registro de suas lições aprendidas e das ações corretivas e preventivas tomadas, a produtividade tende a subir naturalmente.


Os ganhos decorrentes da redução da rotatividade e do aumento da produtividade são benéficos para a organização como um todo e normalmente atendem as expectativas tanto da direção quanto da equipe, duas das principais partes interessadas no desempenho do negócio.


Uma forma de implementar esses indicadores e, mais importante do que isso, implementar as ações necessárias para melhorar esses indicadores é fazer uso de boas práticas de gestão existentes contando com ajuda de profissionais qualificados tais como administradores, contadores e economistas que podem orientar a sua empresa a obter os melhores resultados de forma mais assertiva e sustentável.

Econ. Alexandre B. Marques

Economicidade

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com