SERVIÇOS DE ATENÇÃO À SAÚDE E A PROSPERIDADE DA CIDADE DE CERES



Ceres é uma cidade pólo típica. Mas, o que isso quer dizer?


No caso da nossa cidade, de forma simplificada, isso significa que Ceres é um lugar que se especializou em fornecer serviços para as cidades vizinhas o que, em última análise, indica que se trata de um lugar relativamente mais desenvolvido dentro de sua região e que a prosperidade de Ceres depende a prosperidade dos seus vizinhos.


Isso mesmo. A atual configuração da economia de Ceres faz com que o nosso município dependa do desempenho das outras cidades para se manter.


Funciona assim: O município de Ceres se especializa em oferecer serviços de atenção à saúde, educação, comércio e serviços bancários e as demais cidades nas imediações – em sua maioria – se dedicam à agropecuária, à agroindústria etc.


A consequência disso é que quando os moradores das cidades próximas precisam dos produtos e serviços oferecidos por Ceres, eles nos visitam e deixam parte de sua renda por aqui. Por outro lado, para essas cidades não é economicamente vantajoso desenvolver as atividades que oferecemos, pois a vocação dos municípios deles obtém melhores resultados em outras áreas. Assim, é um arranjo que beneficia a todos.


O lado ruim para Ceres é que, se as cidades vizinhas não estiverem indo bem, é muito provável que Ceres também não estará bem, uma vez que suas “cidades clientes” não estão deixando renda suficiente em nosso comércio, bancos, clínicas e faculdades.


Mudar a característica de uma economia local não é algo que acontece da noite para o dia e muito menos algo que se resolva com um simples decreto. Demanda tempo e exige planejamento e mobilização social. Todavia, Ceres não precisa deixar de ser o que é para ser uma cidade mais próspera.


Como disse, somos especialistas em serviços, principalmente em serviços de atenção à saúde que é um setor que movimenta muito dinheiro e tem alto valor agregado.


Uma forma de fazer com que Ceres “sofra menos” quando as cidades vizinhas não estão bem é ampliando a zona de influência da nossa cidade. Isso pode ser feito, por exemplo, fortalecendo ainda mais o que já temos de melhor, ou seja, nosso Arranjo Produtivo de Saúde e nosso Arranjo Produtivo de Educação.


Quanto mais clínicas tivermos em nossa cidade, maior a quantidade de especialidades e maior a atração de pacientes provenientes de cidades cada vez mais distantes. Por tabela, com novas clínicas surgem mais laboratórios, farmácias, óticas, consultórios odontológicos e tudo o mais que se associa à área em questão. Além disso, o crescimento desse setor cria demanda para as faculdades, não somente para um possível (e sonhado) curso de medicina, como também para áreas afins como enfermagem, fisioterapia, psicologia, farmácia etc.


De forma indireta a inter-relação descrita acima movimenta o comércio, os bancos e outros tipos de serviço impulsionando a economia como um todo.


Em resumo, não precisamos criar uma nova cidade para prosperarmos, podemos fazer muito mais e com menos esforço aproveitando o que já tempos e já sabemos fazer de melhor, por isso, as clínicas e hospitais de Ceres são tão importantes para nossa economia.

Econ. Alexandre B. Marques

Economicidade

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com