5 PASSOS PARA FAZER AS COISAS DAREM CERTO EM QUALQUER ORGANIZAÇÃO


A maioria das pessoas tem muita boa vontade e disposição em partir para a ação, sempre bastante otimistas quanto aos resultados. Elas acreditam firmemente que as coisas darão certo se realmente se esforçarem. Além disso, normalmente estão correndo contra o tempo, sempre muito ocupadas (e preocupadas) em apresentar resultados, seja lá quais forem!


O problema é que não basta boa vontade em ir direto para execução. Não é suficiente ter um avião com duas asas e um motor e sair por aí “voando” apenas para mostrar que está agindo; é necessário ter conhecimento de onde está, ter ciência de quais são as condições climáticas que terá que enfrentar, saber para onde quer ir e – óbvio – você tem que saber pilotar.


E então, na “sangria desatada” de fazer a coisa acontecer, achamos que analisar o contexto da organização, definir objetivos, mapear as ideias etc. não passa de um ritual burocrático sem utilidade e que toma tempo enquanto todos esperam que você “salve a pátria” com seu voluntarismo e com sua coragem!


O problema é que as chances de as coisas darem errado agindo dessa forma são imensamente maiores e não estamos em um momento que nos permita aventuras.


Pois bem, diante disso, aqui está uma sugestão de passo-a-passo para atingirmos resultados de verdade!


1º) Faça um bom planejamento estratégico! Não importa em qual época do ano você está, nunca é tarde para começar a fazer o que é certo e neste sentido, planejamento não é só uma lista de tarefas. Você precisa compreender o ambiente interno e externo da organização, compreender os riscos, conhecer o seu modelo de negócios, revisar a base filosófica da instituição etc. Ou seja, saiba onde está, para onde quer ir e como vai chegar lá!


2ֻº) Organizar as coisas também é uma ótima opção, portanto, inclua isso no seu planejamento. O 5S é o método mais conhecido e aplicado nas organizações mundo a fora. A combinação de Senso de Utilização, Senso de Organização, Senso de Limpeza, Senso de Saúde e Higiene e Senso de Autodisciplina, é poderosíssima e – lembre-se – não estamos falando de uma simples arrumação, isso só funciona direito se tivermos método!


3º) Padronize as coisas! Conheça os seus processos, compreenda como eles acontecem, procure melhorá-los e, quando estiverem realmente bons coloque no papel o que deve ser feito, como deve ser feito e quando deve ser feito. Assim você se certifica de que a equipe fará sempre o melhor possível dentro do padrão estabelecido.


4º) Tenha indicadores. Os números, se coletados corretamente, são decisivos para que você saiba se as coisas estão realmente dando certo ou não. Afinal, não dá para pilotar sem contar com um painel de controle que te informe o que está acontecendo. E aqui, faço um alerta: cuidado com o excesso de informação! É melhor contar com quatro ou cinco indicadores que dizem o que realmente importa do que ter dezenas de indicadores dispersos que não te dizem nada! E como saber quais os indicadores que eu devo usar? Simples! Volte para o primeiro item da lista, ou seja, planeje de forma correta!


5º) Tome suas decisões com base nas evidências extraídas dos números. É lógico que você não vai virar uma calculadora ambulante! Se você acompanhar os números certos, com a regularidade necessária, terá muito mais segurança na decisão, levará menos tempo para decidir e acertará mais vezes no alvo.


Então você chega no final do texto e diz para si mesmo que sabe muito bem como as coisas funcionam em sua empresa, departamento ou repartição e que não precisa de ajuda para fazer o que já sabe! E eu te pergunto: se você já sabe o que deve fazer por que não está fazendo? Se é tão simples por que você está se matando de trabalhar e as coisas não estão dando certo?


Reflita um pouco a respeito e não se acanhe em pedir orientação de quem foi treinado para fazer esse tipo de coisa! O que você não pode fazer é acreditar que as coisas darão certo apenas por que você é esforçado. A única coisa que você conseguirá agindo assim será a comoção das pessoas quando verem que você se deu mal.



Econ. Alexandre Bouças Marques

alexandrebmeconomista@gmail.com

Econ. Alexandre B. Marques