BOLETIM DA ATIVIDADE ECONÔMICA DE CERES – ABRIL DE 2021


EMPREGO


O saldo de empregos gerados na cidade de Ceres tem crescido desde o início do ano.


Observando os números de 2020, o pior momento foi o mês de abril (início da pandemia), quando o total de pessoas empregadas em nossa cidade, segundo o CAGED, era de 4.952 trabalhadores. Esse número não variou muito ao longo dos meses que se seguiram, apresentando uma lenta recuperação.


Em fevereiro de 2021 atingimos 5.323 trabalhadores em atividade, o que aponta para uma possível tendência de recuperação da economia do município no primeiro bimestre do ano. Todavia, devemos lembrar que é comum o crescimento da oferta de empregos entre janeiro e fevereiro e que a segunda onda da COVID-19 ainda não foi percebida pelo gráfico, ou seja, ainda é cedo para comemorar.


Por enquanto, 2021 está com saldo positivo de geração de empregos. Considerando os dois primeiros meses tivemos 548 contratações contra 317 desligamentos, o que significa a criação de 231 novos postos de trabalho.


NOVAS EMPRESAS


Assim como tem crescido a quantidade de pessoas ocupadas, percebe-se um crescimento na quantidade de pequenos negócios abertos na cidade.


O mês de março registrou, segundo o site empresometro.com, o surgimento de 44 novos CNPJ no município de Ceres.


Em consulta rápida ao banco de dados do site, pode-se verificar que atualmente – 09/04/2020 – existem 2.861 empresas ceresinas, o que reforça a tese de que a esmagadora maioria dos negócios em nossa cidade são micro e pequenos empreendimentos.


Observando o gráfico, podemos notar que a quantidade de empresas que surgem vem crescendo bastante e que março atingiu um quantitativo acima da mediana dos últimos seis meses. Isso é reflexo da busca por formalização por parte dos empreendedores e dos efeitos da pandemia, quando grande parcela dos desempregados optam por iniciar novos negócios ao invés de buscar recolocação no mercado de trabalho.


ENERGIA


Quando observamos a evolução do consumo de energia elétrica da cidade, notamos que ele vinha crescendo desde 2018, início da série histórica de que dispomos. Também fica evidente uma quebra nessa tendência, com uma queda de 0,9% no consumo em 2021 na comparação com o ano passado, o que não é um bom sinal.


A relação entre consumo de energia elétrica e crescimento da economia já foi comentada em artigos anteriores. O fato é que, com base na planilha de cálculo desenvolvida pelo autor do presente artigo, uma queda de 0,9% no consumo de energia no primeiro trimestre do ano, aponta para uma redução de 0,3% no consumo total no final do exercício de 2021 e, semelhante situação tende a resultar em uma queda do PIB municipal da ordem de 0,4% em termos nominais. Se somarmos a isso a previsão de inflação com perspectiva de aceleração para 2021, podemos projetar um tombo de 5,0% na economia da cidade.


RESUMO DA ÓPERA


No começo do ano havia mais otimismo e esse otimismo estimulou a oferta de vagas de emprego. O crescimento na quantidade de novos micro e pequenos negócios em uma quantidade acima do normal é sintoma de que o otimismo inicial começou a esmorecer com a chegada da segunda onda da COVID-19.


Esse cenário de incerteza tem afetado o crescimento da economia da nossa cidade que, até o momento, aponta para uma forte queda da atividade que deve comprometer a oferta de emprego ao longo do ano e reduzir a arrecadação municipal, somente para ficar em exemplo óbvios.


Em linhas gerais, tendo em vista o fato de que a economia local não cresce há muito tempo, desde antes da pandemia, podemos dizer que a economia de Ceres está tecnicamente em depressão, agravada pela COVID-19.


É necessário que tanto as empresas quanto o setor público busquem soluções criativas, planejamento e organização para poder vencer esse período sombrio e retomar o crescimento. Parafraseando um importante cientista do século XIX, “não são os mais fortes nem os mais inteligentes que sobrevivem e sim os que melhor se adaptam às novas realidades”.



Econ. Alexandre Bouças Marques

alexandrebmeconomista@gmail.com

Econ. Alexandre B. Marques